in

Auxílio Emergencial: TCU aponta valores assustadores pagos indevidamente pelo governo no benefício

Caixa Econômica Federal efetua o pagamento da quinta parcela para milhares de brasileiros nesta quinta (27).

HUGO BARRETO/METRÓPOLES

Criado para ajudar os brasileiros em tempos de crise por conta da pandemia do coronavírus, o Auxílio Emergencial tem sido uma “válvula de escape” para milhões de pessoas no cenário atual. Contudo, muitas solicitações e pagamentos do benefício foram feitas de forma indevida, sem que as pessoas cumprissem os pré-requisitos estabelecidos pelo Ministério da Cidadania.

Publicidade

Nesta quinta-feira (27), o portal Metrópoles teve acesso a um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), onde órgão apontou que o governo federal pagou cerca de R$ 42 bilhões do Auxílio Emergencial de forma indevida. O relatório foi analisado na última quarta, tendo como relator o ministro Bruno Dantas.

O documento apresenta o risco de 6,4 milhões de brasileiros estarem recebendo as parcelas de R$ 600 indevidamente. Este quantitativo representa 9,6% do total de brasileiros que estão recebendo o montante.

Publicidade

“Considerando os gastos projetados para o pagamento das cinco parcelas, pode envolver recursos da ordem de R$ 23,7 bilhões”, analisou o TCU.

Publicidade

Além disso, soma-se a este quantitativo mais 6,1 milhões de mulheres que teriam supostamente recebido o benefício de forma dobrada. Estas se apresentaram, de forma indevida, como mães chefes de família, recebendo assim R$ 1,2 mil ao invés de R$ 600. 

Publicidade

Segundo o apontamento do TCU, o Brasil possui cerca de 3,1 milhões de mães chefes de família, e 1,2 milhão de mães solteiras não responsáveis pelo domicílio. 

Prorrogação

Na última quarta-feira (26), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sinalizou que até esta sexta-feira (28), o governo federal deve anunciar a nova extensão do Auxílio Emergencial. Os valores das parcelas, no entanto, deverão ficar na casa dos R$ 300.

Publicidade
Publicidade