in

Polícia suspeita que Flordelis e Anderson do Carmo foram a local de ‘troca de casais’ na noite do assassinato do pastor

Em depoimento, Flordelis não soube precisar o local em que teria ido junto ao marido no dia do crime.

Instagram Flordelis

Após a conclusão do inquérito sobre a morte do pastor Anderson do Carmo, a Delegacia de Homicídios de Niterói ainda possui dúvidas sobre o destino de Flordelis e do marido antes do assassinato. De acordo com o Jornal Extra, a polícia suspeita que o casal tenha ido a uma casa noturna de troca de casais em Botafogo, no Rio de Janeiro.

Publicidade

Em depoimento, Flordelis contou à polícia que havia estado em Copacabana junto ao marido na noite do crime. A deputada não soube detalhar o local onde estiveram, e, segundo ela, o casal teria comido petiscos antes de deixar o estabelecimento. Ainda segundo Flordelis, posteriormente, ela e o marido teria ido a um local afastado para “namorar”.

Apesar do depoimento dado pela deputada, a investigação concluiu que o casal não esteve em Copacabana, e que o veículo teria passado por um bairro vizinho à Botafogo. O gerente de uma casa de troca de casais do bairro prestou depoimento à polícia e revelou que não reconhecia o casal como frequentador do local.

Publicidade

Porém, os investigadores não descartaram esta hipótese, pois é comum que funcionários deste tipo de estabelecimento não revelem a identidade dos frequentadores. Outro fato que chamou a atenção da polícia foi o depoimento de uma testemunha que garante que o casal frequentava casas dessa temática com assiduidade.

Publicidade

Na última segunda-feira (24), Flordelis foi apontada como mandante do assassinato do marido pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. A deputada e mais 10 familiares foram denunciados pelo crime. Dois dos filhos de Flordelis já estavam presos pelo assassinato de Anderson do Carmo desde o ano passado.

Publicidade

Publicidade
Publicidade
Publicidade