in

Auxílio Emergencial: Bolsonaro contraria Guedes e quer parcela mais alta na prorrogação; valores são revelados

Prorrogação do benefício com valores mais altos pode representar um aumento na popularidade do presidente.

Agência Brasil - Montagem Cido Vieira

A nova prorrogação do programa Auxílio Emergencial é algo praticamente concreto a ser realizado pelo governo federal. No entanto, os valores acerca das novas parcelas do benefício ainda figuram como entrave nos bastidores.

Publicidade

De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recebeu uma proposta da equipe econômica de R$ 270 para cada nova parcela, mas acabou declinando e pediu para a ala chegasse a um valor a partir de R$ 300. 

“Estou pensando em prorrogar por mais alguns meses, mas não com R$ 600 nem com R$ 200. Um meio-termo aí até a economia pegar”, disse o chefe do Executivo a um grupo de eleitores que estava em frente ao Palácio do Alvorada na última segunda-feira.

Publicidade

No início, o ministro Paulo Guedes propôs uma extensão do Auxílio Emergencial com uma parcela de R$ 200, mas acabou encontrando resistência da ala política e do próprio presidente. Após a pressão, o responsável pela pasta cedeu e projetou este novo valor, que novamente foi rebatido. O objetivo de Guedes era propor essa faixa de valor visando a transição deste programa para o Renda Brasil, que ficará para o próximo ano.

Publicidade

Adiamento

Justamente por essa indefinição no Auxílio Emergencial, bem como no Renda Brasil, – programa que deve ser lançado em breve pelo governo federal, que unificará o Bolsa Família e com outros benefícios – a cerimônia de lançamento dessas medidas acabou sendo adiado pelo governo. O evento estava previsto para ocorrer nesta terça-feira (25), no Palácio do Planalto. Ao que tudo indica, o anúncio das novas medidas ficará para a próxima semana.

Publicidade
Publicidade
Publicidade