in

Professora grávida morre por Covid-19 após ter contato com colega em chá de fraldas surpresa

Camila teve o parto induzido, chegou a melhorar no quadro clínico, mas acabou não resistindo à luta contra a Covid-19.

Reprodução/TV Anhanguera

A pandemia do coronavírus segue assolando a população brasileira em larga escala e registrando histórias trágicas. Em Anápolis, cidade que fica a 55 km de Goiânia, a professora Camila Graciano, de 31 anos, acabou sendo mais uma vítima fatal da doença. Grávida de oito meses, ela vinha respeitando a quarentena à risca, contudo, um contato com uma pessoa infectada foi determinante para seu falecimento.

Publicidade

Por ter uma gravidez de risco, Camila seguia todos os cuidados e recomendações em tempos de pandemia, e não saia de casa nos últimos meses. Apesar disso, segundo o seu irmão, Daniel Hélio Ambrósio, amigas do trabalho resolveram fazer um chá de fraldas surpresa na reta final da gravidez dela.  O problema era que uma das participantes estava com quadro positivo para a Covid-19, mas não sabia, uma vez que ainda não apresentava sintomas.


“Algumas conhecidas dela, amigas do serviço, fizeram um chá de fraldas surpresa, e uma delas estava contaminada e não sabia. Logo depois, ela ficou muito ruim e os familiares avisaram às meninas que participaram do chá. Infelizmente, minha irmã foi uma das infectadas”
, contou o irmão. 

Publicidade

A professora foi internada às pressas, após uma forte mobilização dos familiares que esbarraram na lotação dos leitos de UTI em Anápolis. 

Publicidade

Parto às pressas

Por conta do alto risco, o parto de Camila precisou ser induzido para salvar a vida do bebê, que apesar de nascer prematuro, passa bem.

Publicidade

Depois do nascimento de Helena, primeira filha do casal, após sete anos de união, Camila chegou a apresentar uma melhora significativa. No entanto, a professora acabou piorando no seu quadro clínico e faleceu na última sexta-feira (21).

Publicidade
Publicidade
Publicidade