in

Funcionária de hospital é investigada após dizer que menina de 10 anos gostou de ser abusada: ‘Menina fingida’

A Secretaria de Saúde do Acre investiga as manifestações da mulher através das redes sociais.

Imagem Ilustrativa/G1/Divulgação

Após a repercussão do caso da menina de apenas 10 anos que foi abusada pelo tio e engravidou, inúmeras pessoas vem se manifestando sobre o assunto através das redes sociais. Uma funcionária do Pronto-Socorro de Rio Branco, identificada como Noeli Juncundo Andrade, minimizou os abusos sofridos pela menor e afirmou que a menina havia gostado da situação.

Publicidade

O comentário foi feito em uma publicação sobre a interrupção da gravidez da criança que foi autorizado judicialmente. A mulher questionou porque a menina suportou os abusos durante quatro aos sem denunciar, e afirmou que ela não seria tão inocente.

Ainda no comentário, Noeli reconheceu que o homem não deveria abusar da sobrinha, mas afirmou que não concordava que teria sido abuso, já que, segundo a mulher, a menor havia compactuado com a situação, chegando a chamá-la de “menina fingida”.

Publicidade

Após a repercussão do comentário, a funcionária do Pronto-Socorro de Rio Branco foi duramente criticada nas redes sociais. A Secretaria de Saúde do Acre emitiu nota e afirmou que está investigando a “manifestação indecorosa” da servidora através das redes sociais, e ressaltou que repudia todo tipo de agressão à dignidade humana.

Publicidade

De acordo com o site G1, Noeli Juncundo se retratou sobre o comentário acerca da menor. “Eu reconheço e assumo que fui infeliz na colocação, não soube me posicionar. Não estou tirando minha falha, errei, pedi perdão Deus, peço desculpas, e não foi essa a minha intenção porque sou contra qualquer tipo de abuso”, disse a mulher. A menina abusada e a família aceitaram fazer parte do Programa de Proteção às Testemunhas, e terão identidade e endereço modificados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade