in

OMS alerta que vacina não vai acabar pandemia sozinha e faz prazo preocupante para Covid-19 ser controlada

Pandemia da Covid-19 já registra mais de 22 milhões de casos e 780 mil mortes em escala global.

Metrópoles - PICTURE ALLIANCE/GETTY IMAGES

Em meio ao cenário de calamidade na saúde por conta da pandemia do coronavírus, os imunizantes aparecem como a principal fonte de esperança da população mundial de combater a Covid-19. Sempre centrada em seus discursos, a OMS deu mais um posicionamento sobre o cenário da doença nesta sexta-feira (21), mas não mostrou muito otimismo sobre as chances da vacina, sozinha, eliminar o vírus em escala global.

Publicidade

Em coletiva, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que a imunização não conseguiria eliminar o SarsCov-2 sozinha.

Até o momento, 167 vacinas estão sendo desenvolvidas no mundo. Seis delas já estão na última fase de testes e estudo. Para o diretor da OMS, a vacinação na população mundial é essencial, mas deve ser combinada com o distanciamento social, higiene das mãos e o uso de máscaras.

Publicidade

Ghebreyesus ainda pediu para que países que estão apresentando um progresso no combate ao vírus, não relaxem completamente, para evitar novos surtos da Covid-19. Estas “novas ondas”, segundo ele, servem de alerta para outros países.

Publicidade

Prazo

O diretor ainda fez um comparativo da pandemia do coronavírus com a gripe espanhola, que ocorreu em 1918. Segundo ele, apesar da globalização funcionar como um agente facilitador na disseminação do vírus, a Covid-19 será controlada em um tempo maior, principalmente por conta dos avanços tecnológicos. A aposta da entidade de saúde é que o mundo vença a batalha contra a pandemia em menos de dois anos. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade