in

Suspeito de abusar da sobrinha de 10 anos teria fugido de táxi e com escolta

O suspeito teria fugido de São Mateus (ES) para Betim (MG) em um táxi clandestino dois dias antes de ser preso.

Reprodução/ A Gazeta

O suspeito de estuprar e engravidar a sobrinha, uma criança de apenas 10 anos, em São Mateus (ES), teria fugido do município, em um táxi ilegal, dois dias antes de ocorrer sua prisão. Em Betim, próximo a Belo Horizonte, ele teria sido recepcionado por amigos, que estariam o ajudando a se esconder até o momento em que se entregou à polícia na manhã do dia 17. As informações foram confirmadas ao portal UOL por uma pessoa ligada a investigação.

Publicidade

Em um vídeo feito pelo suspeito de 33 anos, ele afirmou que só se entregaria para um único investigador chamado Cláudio. Dois delegados confirmaram que Cláudio conduziu a prisão do homem e estaria em contato com ele o tempo todo. Segundo a reportagem, o policial mencionado se negou a falar sobre o assunto. 

Perante anonimato, a pessoa ligada à investigação também afirmou que Cláudio ficou por mais de uma hora negociando com o suspeito ao telefone, até que decidiu se entregar à Polícia Civil. Porém, teria pedido que somente Cláudio fosse até Betim (MG) para buscá-lo.

Publicidade

Três dias antes da prisão acontecer, houve uma denúncia de que o acusado estaria se escondendo em Ibirapuã (BA). Os investigadores foram até o município, onde realizaram buscas em toda a região durante três dias, mas não localizaram o homem.

Publicidade

Na segunda-feira (17), Cláudio teria conseguido contactar os familiares do tio da menina. Às 15h, do mesmo dia, o investigador foi até Betim (MG), auxiliado de outros dois policiais civis, em uma viatura descaracterizada. Ele estava na rua, em uma favela, escoltado por dois homens desconhecidos e não resistiu a prisão.

Publicidade

A mulher do suspeito e seus dois filhos vem recebendo ameaças de morte pelo celular todos os dias, segundo relatos de vizinhos. A família estaria trancada em casa, temendo serem mortos. Moradores também contaram que a mulher não está falando nem com as pessoas do bairro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade