in

Sara Winter pode sofrer dura punição da justiça após compartilhar dados sigilosos da menina de 10 anos abusada pelo tio

Sara Winter entra na mira da Justiça e dura punição pode vir à tona após divulgação de dados sigilosos da menina de 10 anos abusada pelo tio.

Reprodução: Brasil247

Nos últimos dias, um crime bárbaro tem tomado conta dos noticiários e redes sociais. Trata-se do caso da menina de 10 anos, grávida do tio após ter sido abusada pelo mesmo desde os 6 anos. O caso tem gerado grandes debates nas redes sociais, principalmente, após a justiça conceder permissão para que a criança realizasse um aborto.

Publicidade

Com intuito de preservar a integridade da menina, todos os dados deveriam ser mantidos em sigilo, como nome, cidade onde residia, onde realizaria o aborto, e tudo mais quanto fosse possível. Contudo, a considerada extremista, Sara Winter obteve acesso aos dados da criança e chegou a compartilhá-los nas redes sociais.

Embora mais tarde a Justiça tenha ordenado a retirado dos vídeos da internet, tão como quaisquer informações sobre a pequena, o estrago já estava feito e, tal atitude acabou gerando um pequeno ‘caos’ em frente ao hospital onde a menina realizaria o procedimento abortivo. Grupos de diferentes opiniões, a favor e contra o aborto, fizeram manifestações por horas na porta do hospital, chegando até mesmo a quase hostilizar o responsável pelo mesmo.

Publicidade

Ainda assim, a menina realizou o procedimento, e até mesmo já recebeu alta hospitalar. Ela já viajou com a avó, porém, desta vez, seu destino continua mantido em segredo para se evitar que ela volte a ser hostilizada por extremistas antiaborto.

Publicidade

Sara Winter, não foi esquecida não esquecida pela justiça e pode sofrer dura punição

Sara Fernanda Giromini, conhecida como Sara Winter, não foi esquecida pela justiça e pode, em breve, sofrer uma dura punição. Isso porque, nesta quarta-feira, 19 de agosto, a Promotoria de Infância de Juventude do Ministério Público do Espírito Santo ajuizou uma ação civil pública contra ela por ela ter tido acesso ilegal a detalhes do caso e ter divulgado o nome da menina e do hospital onde ela realizaria o procedimento abortivo.

Publicidade

A ação contra Sara pede que ela seja condenada a pagar a quantia de R$ 1,3 milhão, a título de indenização por danos morais coletivos após expor a criança e por chamar seguidores a se manifestarem, “em frontal ofensa à legislação protetiva da criança e do adolescente”. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Matheus Dayrell

Sócio-fundador do i7 Network. Tenho a profissão de jornalismo como uma paixão e estou sempre em busca de constantes melhorias nos conteúdos que escrevo, estando eles, principalmente, entretenimento, esportes e curiosidades. Meu contato: mdayrell07@gmail.com