in

Enfermeira relata medo de menina abusada em relação ao tio: ‘ele poderia matar o avô dela’

Menina tomou conhecimento sobre a notícia da prisão do tio, sozinha, através do celular.

Veja/Imagem Ilustrativa/Montagem Ghean Fernandes

Nesta quarta-feira (19), a menina de apenas 10 anos, que foi abusada pelo tio, recebeu alta hospitalar do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam-UPE), após a realização do aborto autorizado judicialmente. De acordo com o site Terra, a enfermeira Paula Viana, do Grupo Curumim, uma ONG feminista do Recife, a menina se sentiu aliviada após saber da prisão do tio.

Publicidade

Paula Viana acompanhou o caso da menina durante sua estadia no hospital de Recife. O suspeito foi capturado pela polícia na madrugada da última terça-feira (18), em Betim, Minas Gerais. O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande confirmou a prisão do homem, que já possuía passagens pela prisão por tráfico e posse ilegal de armas.

A enfermeira que acompanhou a menor relatou que a menina ficou muito feliz com os inúmeros presentes que recebeu no período em que esteve internada. Paula falou sobre a personalidade da menina, e afirmou que ela era muito calada e possuía um olhar triste de quem já havia sofrido muito na vida.

Publicidade

A profissional revelou qual seria o medo da menor em relação ao tio: “Ela recebeu a notícia e mostrou para a avó, que me disse que a neta estava aliviada porque pensava que, solto, ele poderia matar o avô dela”. O médico Olímpio Barbosa de Morais Filho foi o responsável pelo procedimento do aborto realizado na menor.

Publicidade

Olímpio relatou que a menina já retornou ao Espírito Santo e poderia realizar um de seus sonhos, experimentar um sanduíche de uma rede de fast-food. No dia do procedimento, o médico precisou conter grupos religiosos que se manifestavam contra a interrupção da gravidez da menor.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade