in

Auxílio Emergencial: tudo o que se sabe sobre a possível prorrogação e novos valores do benefício

Benefício começou a ser pago no mês de abril e já ajudou milhares de brasileiros.

UOL

Nesta terça-feira (18), a Caixa Econômica Federal (CEF) iniciou o pagamento da quinta parcela do Auxílio Emergencial para beneficiários que também integram o programa Bolsa Família. O montante de R$ 600 é o último pagamento previsto para os brasileiros conforme ficou estabelecido na prorrogação do programa feita no fim de junho.

Publicidade

Contudo, devido ao cenário de pandemia e crise instaurada no país, o governo federal já estuda há algumas semanas a possibilidade de uma nova extensão do benefício, que chegou a ser descartada pelo presidente Jair Bolsonaro há alguns meses, mas atualmente, o próprio chefe do Executivo enxerga com bons olhos a nova prorrogação por questões de popularidade.

Além do interesse na questão política, outro fator que contribui para uma possível extensão do Auxílio Emergencial é o atraso na oficialização do Renda Brasil. O programa, que chegará para substituir o Bolsa Família, chegou a ser anunciado pelo ministro Paulo Guedes, mas ainda esbarra em últimos acertos.

Publicidade

Prioridade no governo

De acordo com o colunista Valdo Cruz, do G1, o governo Jair Bolsonaro não prioriza no momento uma reforma tributária e nem uma administrativa, o foco é a prorrogação do Auxílio Emergencial e a efetivação do Renda Brasil para o próximo ano. Os bons números de aprovação do presidente, principalmente no Nordeste, impulsionam o chefe do Executivo se dedicar a assunto, segundo o colunista.

Publicidade

Reunião

Na última segunda-feira (18), o ministro Paulo Guedes se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto. Segundo o R7, um dos motivos do encontro foi para discutir uma possível prorrogação do Auxílio Emergencial.

Publicidade

Valores diferenciados

Uma parcela mensal do benefício representa um gasto de R$ 50 bilhões aos cofres brasileiros. Diante disso, manter o pagamento de R$ 600 a milhares de brasileiros por vários meses é algo fora da realidade econômica atual do país. Se estendido, o Auxílio Emergencial deve ter parcelas girando entre R$ 200 e R$ 300 mensais. 

O prazo de uma possível extensão também é uma incógnita. Por conta do cenário de crise, especula-se que o benefício possa ser prorrogado até o final do ano.

Aprovação

Se levado adiante pelo governo federal, a nova prorrogação do Auxílio ainda dependerá de uma aprovação do Congresso Nacional, que por algumas vezes se mostrou contrário ao pagamento de menos de R$ 600 aos brasileiros.

Publicidade
Publicidade