in

Justiça toma decisão após Sara Winter divulgar dados da menina de 10 anos abusada pelo tio

Juiz tomou decisão após militante expor a criança nas redes sociais e gerar revolta.

Isto É / Imagem Ilustrativa / Montagem Ghean Fernandes

No último domingo (16), Sara Winter divulgou através de suas redes sociais uma publicação expondo dados pessoais de uma menina de 10 anos que teria engravidado do tio após abusos. A militante ainda revelou o local onde a criança realizaria um aborto, autorizado pela Justiça, e causou atos de revolta em frente ao hospital.

Publicidade

Após a publicação de Sara, que ainda chamou o médico que realizaria o procedimento de “aborteiro”, uma onde de revolta começou nas redes sociais. Internautas chegaram a dizer que a militante deveria ser presa por expor uma criança em tal situação.

Com toda polêmica instaurada, a Justiça do Espírito Santo tomou uma decisão a respeito das publicações de Sara Winter. Segundo o site UOL, o juiz de plantão, que não teve o nome divulgado pelo portal, determinou que as postagens da militante deverão ser retiradas do ar.

Publicidade

A decisão da Justiça acabou atendendo a um pedido da Defensoria Pública do Estado e as publicações de Sara Winter terão que sair das redes sociais em até 24 horas. Por conta da determinação do juiz, plataformas como o Youtube, Facebook e Twiiter acabaram sendo notificadas para que a decisão seja acatada.

Publicidade

O advogado de Sara se manifestou sobre o caso e afirmou que os dados da menina já estavam expostos na web antes da militante posta-los em suas redes sociais. “Qualquer veículo de comunicação que não tenha viés ideológico pode consultar o Twitter através de seus mecanismos de busca e facilmente terá acesso a inúmeras postagens com a hashtag que faz referência ao primeiro nome da menor”, disse a defesa reforçando a afirmação. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade