in

Casal morre vítima da Covid-19 com apenas cinco minutos de diferença e família fica arrasada

Internados em hospital diferentes, o casal morreu com uma curta diferença de um para o outro.

G1

A pandemia do coronavírus segue assolando e ceifando a vida de centenas de brasileiros diariamente. Desde o início da doença em solo nacional, inúmeras histórias emocionantes foram contadas, nem sempre de vitória na luta contra a Covid-19, mas muitas delas deixam legados e ensinamentos.

Publicidade

Em Goiânia, um casal de idosos que estava internado em hospitais diferentes morreu na última quinta-feira (13), com um intervalo de apenas quatro minutos de um para o outro. De acordo com familiares, Eurides Cândido da Cunha, de 75 anos, e Avelina de Queiroz Cunha, de 68, faleceram em decorrência de complicações oriundas da Covid-19.

Eles viviam em Iporá, município que fica no oeste do estado de Goiás, onde serão sepultados nesta tarde de sexta. Conhecido popularmente como Oridão, Eurides tinha um escritório de compra e venda de gado. Por sua vez, Avelina era professora aposentada. Casados há 43 anos, os dois deixaram dois filhos e dois netos. 

Publicidade

Através de suas redes sociais, a prefeitura de Iporá lamentou o falecimento do casal, bastante querido no município, e prestou solidariedade à família. A OAB-GO e a subseção da cidade emitiram nota, uma vez que Eurides e Avelina eram pais de uma advogada.

Publicidade

Relato da nora

Em entrevista ao G1, a nora do casal, Flaviana Lourenço Rabelo, afirmou que os dois contraíram a Covid-19 e precisaram ser internados em um mesmo hospital de Goiânia. Segundo ela, Oridão chegou a melhorar e recebeu alta. Cinco dias depois, ele voltou a passar mal e foi internado em outra unidade hospitalar. 

Publicidade

Minha sogra morreu primeiro. Quatro minutos depois, em outro hospital, ele morreu. A gente entende que um foi buscar o outro, até porque acreditamos que não conseguiriam viver sozinhos. Estão todos muito arrasados“, disse ao G1.

Flaviana Lourenço ainda afirmou que ela e outros familiares do casal chegaram a testar positivo para a doença, mas não apresentaram sintomas graves como os sogros.

Publicidade
Publicidade
Publicidade