in

Reviravolta no caso Isabele: alguém disparou a arma que matou a menina, diz perícia

Amiga de 14 anos havia dito em depoimento à polícia que arma disparou após cair no chão, mas perícia desmentiu.

G1

A morte da jovem Isabele Ramos ainda gera muitas dúvidas. A amida da garota, de 14 anos de idade, acabou dando um depoimento em que disse que tudo foi um acidente e que a arma teria caído no chão e disparado sozinha. Nesta terça-feira, 11 de agosto, no entanto, uma mudança no caso surpreendeu a todos, como mostra uma matéria do portal de notícias G1. 

Publicidade

Caso Isabele Ramos: perícia diz que arma não disparou sozinha e causa reviravolta

O Laudo feito pela perícia oficial da polícia técnica acabou concluindo que o tiro que matou a jovem Isabele Ramos não foi dado sozinho. Para os peritos, a arma não dispararia, caso o gatilho não tenha sido puxado. A conclusão entende que alguém teria atirado na garota, mas não deixa claro quem poderia ser essa pessoa. 

Isabele Ramos morreu em um condomínio de luxo da cidade de Cuiabá, no estado do Mato Grosso. O tiro, para a polícia, então teria ocorrido após alguém utilizar a arma. O laudo conclui ainda que esse disparo não pode ter sido acidental. 

Publicidade

O pai da menina, o empresário Marcelo Cestari, não teria atendido o contato do portal de notícias G1. Já o laudo que atesta que o tiro em Isabele Ramos não foi acidental tem a assinatura do perito Reinaldo Hiroshi dos Santos. 

Publicidade

O laudo assinado por ele diz que a arma que matou Isabele Ramos não é capaz de disparar sozinha nas circunstâncias que foram narradas pela adolescente, que para a polícia teria sido quem atirou na amiga. A perícia diz ainda que a arma só foi capaz de dar um tiro estando carregada, engatilhada, além de estar destravada e também que o gatilho da mesma fosse acionado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.