in

Covid-19 e as grávidas: novas evidências apontam impacto do vírus em gestantes, puérperas e recém-nascidos

De acordo com estudo, o Brasil é o país com mais mortes de grávidas e puérperas do mundo.

Divulgação/Abril

Um dado preocupante ronda a cabeça das gestantes brasileiras. O motivo é que mais de 75% das puérperas e gestantes que perderam a vida por causa do novo coronavírus no mundo todo são até o momento brasileiras. Foi isso que apontou uma pesquisa publicada pelo International Journal of Gnecology na Obstetrics recentemente.

Publicidade

Das 978 pacientes grávidas que tiveram SRAG – Síndrome Respiratória Aguda Grave por causa do novo coronavírus no país, 124 evoluíram a óbito. O número é 3,4 vezes mais alto do que as mortes registradas no restante do mundo, conforme averiguado pelos estudiosos que compararam os dados de outros países.

O trabalho foi realizado por profissionais da Fiocruz – Fundação Oswaldo Cruz, Unesp – Universidade Estadual Paulista, Ufscar – Universidade Federal de São Carlos e outras instituições. Ser portadora de alguma doença pré-existente, como, por exemplo, diabetes ou doenças do coração, parece elevar o risco de complicações.

Publicidade

A explicação provável não teria relação com a maior letalidade da enfermidade no Brasil, mas sim com a desigualdade no acesso à saúde. Inclusive, também houve diferença bem sugestiva na letalidade considerando a raça. Entre as grávidas brancas, o índice de morte foi de 9%. Já 13,9% das que não eram brancas morreram.

Publicidade

“O que podemos dizer é que enfrentamos uma disparidade no acesso ao sistema de saúde, e a assistência pré-natal adequada é fundamental para diminuir a mortalidade em qualquer doença”, completou Alexandre Pupo, que é ginecologista.

Publicidade

Grávidas estão no grupo de risco da Covid-19?

De acordo com estudos realizados, as gestantes que tem doenças pré-existentes e obesidade são mais suscetíveis a desenvolver uma versão severa da enfermidade, mas na maior parte dos casos acaba sendo branda. No entanto, elas têm uma propensão maior às doenças virais e por esse motivo são consideradas parte do grupo de risco da Covid-19, conforme o Ministério da Saúde.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.