in

Diretor da OMS rebate fala de Bolsonaro sobre vacina e diz se a cloroquina é eficaz

Em uma entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira (10), o diretor de emergências da OMS respondeu pergunta sobre postura de Bolsonaro.

Reprodução: UOL / Jornal O Dia - fotomontagem: Vieira Filho

Nesta segunda-feira (10), o diretor de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan, concedeu uma entrevista coletiva bastante reveladora, em que abordou, principalmente, a temática relacionada às vacinas que vêm sendo produzidas no mundo todo. Além disso, o diretor foi questionado sobre o comportamento de alguns presidentes, bem como prestou informações acerca da hidroxicloroquina.

Publicidade

Michael Ryan afirmou que todas as vacinas existentes, que buscam o combate ao coronavírus, ainda estão em fase de testes, razão pela qual, agora, a eficácia de tais imunizantes não deve ser questionada: “Neste momento, não precisamos levantar suspeitas sobre qualquer vacina”, destacou o diretor de emergências da OMS.

Ryan falou sobre a eficácia das vacinas, após ser questionado sobre um pronunciamento do presidente do Brasil. Recentemente, Jair Messias Bolsonaro afirmou, em uma live, que a vacina desenvolvida pela China não seria utilizada nos brasileiros, questionando a eficácia dos estudos que vêm sendo realizados pelos chineses.

Publicidade

Ao refutar a fala do presidente do Brasil, o diretor da OMS apontou que o foco de análise deve ser a eficácia e segurança dos testes das vacinas. Em certo momento da coletiva, ao tratar especificamente do Brasil, Michael Ryan foi perguntado sobre o medicamento hidroxicloroquina.

Publicidade

O diretor da OMS então respondeu: “Numa situação assim, a hidroxicloroquina não é uma bala de prata ou uma solução”. Ryan ainda destacou que, em todos os estudos realizados com o medicamento, a cloroquina não se provou eficaz contra a Covid-19 em nenhum deles.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade