in

Jovem que perdeu irmão, mãe e avó para a Covid-19 em apenas 10 dias conta como tem superado drama

Internados no mesmo hospital, vítimas da mesma família morreram em um intervalo de apenas 10 dias.

G1

A pandemia do coronavírus segue assolando o Brasil e devastando famílias. Há dois meses, a jovem Marina Angélica Reversi, de 27 anos, encarou um cenário aterrorizante, perdendo irmão, a avó e mãe para a Covid-19, em um intervalo de apenas 10 dias. 

Publicidade

Em entrevista ao G1, a vendedora afirmou que precisou enterrar seus entes queridos sem poder vê-los, uma vez que o risco de contaminação é grande. Passado um curto período das perdas familiares, Marina conseguiu buscar forças e tem sido um exemplo de superação.


“Meu coração sangra. As pessoas falam que sou forte, guerreira, só que nem eu sei explicar. Essa força não vem de mim, vem de Deus. Se Ele acha que sou forte para carregar essa cruz, vou carregar”
, disse Marina. 

Publicidade

Em 5 dias completará 1 mês que enterrei a minha mãe, a última a morrer pelo Covid, primeiro foi meu irmão em seguida…

Gepostet von Marina Reversi am Samstag, 27. Juni 2020

Avassalador

Marina afirmou que o primeiro membro da família que não resistiu às complicações da infecção do coronavírus foi o irmão Jaiel Reversi, de 29 anos. O jovem que tinha hipertensão, acabou sendo internado no Hospital da Base de São José do Rio Preto no dia 18 de maio, e faleceu apenas dois dias depois.

Publicidade

Enquanto os familiares sepultavam Jaiel, a mãe de Marina, Marlene Moreira dos Santos, e a avó, Diva Marques, estavam no mesmo hospital, internados com a Covid-19.

Publicidade

A idosa faleceu no dia 30 de maio, e dois dias depois, Marlene também não resistiu, abalando de vez as estruturas da família.

“Elas eram o alicerce da minha família, da minha vida. Minha vida não vai parar, não podemos nos entregar”, disse Marina.

Números da Covid-19

De acordo com o Consórcio de imprensa, o Brasil ultrapassou neste sábado (08), a marca de 100 mil óbitos em decorrência do coronavírus, em cinco meses de luta contra a doença. O número de infectados já se aproxima da casa dos 3 milhões.

Publicidade
Publicidade
Publicidade