in

‘Vamos chegar a 100 mil mortos, mas vamos tocar a vida’, diz Bolsonaro; presidente volta a falar da cloroquina

Na live desta semana, realizada nesta quinta-feira (07), o presidente lamentou o número de mortes em razão da Covid-19 e falou da cloroquina.

Reprodução: Facebook Jair Bolsonaro

Semanalmente, o presidente Jair Messias Bolsonaro que, atualmente, está sem partido, utiliza seu perfil no Facebook para manter contato com o público, através de transmissões ao vivo. Na live desta semana, realizada nesta quinta-feira (06), o líder do Executivo debateu alguns assuntos polêmicos, entre eles o número de óbitos decorrentes da Covid-19 no país e o uso da hidroxicloroquina.

Publicidade

Ao lado do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, que também participou da transmissão, Bolsonaro disse que lamentava o elevado número de vítimas fatais ocasionadas pelo novo coronavírus, mas que era necessário tocar a vida: “A gente lamenta todas as mortes, vamos chegar a 100 mil, mas vamos tocar a vida e se safar desse problema”, afirmou Jair.

Após essa declaração, o presidente, que já contraiu o novo coronavírus, voltou a falar sobre a cloroquina. Apesar de não existir nenhum respaldo científico acerca da eficácia do medicamento, Jair comentou que as pessoas não deveriam ser proibidas de fazer uso da substância, até porque ainda não circula nenhuma vacina.

Publicidade

O presidente ainda destacou que não cabe a governadores e prefeitos o ato de negar medicamento a alguém, papel destinado aos médicos. Além disso, Bolsonaro aproveitou para criticar os governantes que adotam medidas mais drásticas visando o isolamento social, como os chamados lockdowns. Segundo ele, esses políticos são os responsáveis pela alta do desemprego.

Publicidade

Além do elevado número de óbitos decorrentes do novo coronavírus, a doença tem sido responsável pela maior taxa de desemprego do país em três anos, segundo dados divulgados pelo IBGE.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade