in

Covid-19: laboratório anuncia valores de dose da vacina e preço é de assustar

OMS já recebeu inúmeras candidaturas de imunizantes; alguns deles já estão em fase final de desenvolvimento.

UOL

A corrida pelo desenvolvimento de uma vacina contra a Covid-19 segue a todo vapor em vários países. Nesta quarta-feira (05), o laboratório dos Estados Unidos Moderna Inc anunciou o valor do seu imunizante, que é um dos seis que já avançaram para a última fase de testes, antes do registro e liberação para ser aplicado em toda a população.

Publicidade

Segundo o laboratório norte-americano, uma dose da vacina custará entre US$ 32 a US$ 37 (R$ 170 a R$ 196) por dose. A Moderna recebeu cerca de US$ 1 bilhão do governo dos Estados Unidos para desenvolver a vacina, e agora negocia para distribuir o imunizante em outros países. 

O laboratório prevê que a última etapa de testes não necessitará de um longo tempo, e se todos os passos apresentarem resultados positivos, o imunizante estará pronto para ser utilizado em larga escala até o final deste ano. 

Publicidade

Comparativo

Publicidade

Apesar de ter sinalizado que o valor do seu imunizante seria “bem abaixo do valor da vacina”, o laboratório figura com um dos preços mais caros do mundo.

Publicidade

Também em franco processo de desenvolvimento, o laboratório da Pfizer anunciou que cada dose da sua vacina custará US$ 19,50 (cerca de R$ 103) para o governo dos Estados Unidos, que já comprou o primeiro lote de forma integral.

Além dele, a Casa Branca também já acertou negócio com Johnson & Johnson, que vai cobrar apenas US$ 10 (R$ 53) por cada dose de seu imunizante. 

Testada em solo brasileiro, a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, terá preço de custo em todo o mundo. Segundo o laboratório parceiro da universidade britânica, cada unidade do imunizante custará 2,5 euros (R$ 15), não objetivando assim lucros absurdos.

A Coronavac, que também está em fase de testes no Brasil, ainda não teve o valor definido. De acordo com o governador João Doria, a expectativa é que o imunizante esteja disponível para a população até janeiro no Sistema Único de Saúde (SUS).

Publicidade
Publicidade