in

Covid-19: mulheres que tomam pílula anticoncepcional teria risco menor de forma grave da doença, diz estudo

O fato também explicaria o maior número de homens afetados pela enfermidade.

ICTQ

Uma pesquisa realizada pela King’s College London, mulheres que fazem uso da pílula anticoncepcional tem chances menores de desenvolver quadros graves de Covid-19. Segundo o estudo, o estrogênio, o hormônio que está presente em quantidades maiores no corpo da mulher, acaba atuando como proteção contra o coronavírus. Esse detalhe explicaria a questão de mais homens serem afetados pela enfermidade. 

Publicidade

O estudo foi realizado baseado em um aplicativo, o Covid Symptom Study. Ele fez o rastreamento de meio milhão de mulheres nos meses de maio e junho. O resultado deixou evidente que a população que faz uso da pílula tem as chances de desenvolver os sintomas graves da Covid reduzidos em 13%. Já nos casos de mulheres que estão na menopausa, tem o risco 22% maior.

“Quando comparamos um grupo mais jovem de mulheres que usavam de pílula anticoncepcional combinada com um grupo semelhante que não tomava o medicamento, as mulheres do primeiro grupo tinham Covid-19 menos grave, sugerindo que os hormônios presente na pílula podem oferecer alguma proteção contra a Covid-19″, explicou uma das médicas que participou da pesquisa.

Publicidade

Os estudiosos acreditam que o estrogênio acaba estimulando uma resposta maior do sistema imune. Desta forma, aumenta a quantidade de células de defesa do organismo e também promove a sua eficiência. As mulheres que fazem uso da pílula anticoncepcional oral e ainda não passaram pela menopausa costumam ter esse hormônio mais elevado que as que não fazem uso.

Publicidade

Já a testosterona, que é o hormônio mais presente no corpo do homem, tem ligação direta com a supressão do sistema imune e esse detalhe faz com que as células de defasa fiquem mais lentas.

Publicidade

Infelizmente, a pandemia do coronavírus tem assolado a humanidade e no Brasil a situação é caótica. O número de mortes está beirando quase a marca de 100 mil, um número muito alto e que tem preocupado as autoridades.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.