in

Auxílio Emergencial: Bolsonaro autoriza discussões para possível nova ampliação do benefício

Benefício já contemplou milhares de brasileiros e tem o cronograma de pagamentos em sua quarta parcela.

Câmara dos Deputados / Caixa

Apesar de ter sinalizado algumas vezes que seria praticamente impossível prorrogar mais uma vez o programa Auxílio Emergencial, que tem sido um alento dos brasileiros em tempos de crise, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) parece que tem mudado de opinião sobre o assunto.

Publicidade

Diante de um atraso nas discussões e ajustes finais do programa Renda Brasil, que tinha previsão inicial para ser lançado ainda neste ano. De acordo com a colunista Carla Araújo, do UOL, o chefe do Executivo autorizou e se animou com uma possível extensão do Auxílio Emergencial até o fim do ano.

Um ministro foi ouvido pela colunista, e indicou que o fato já está sendo discutida. A medida de extensão do programa também teria interesse de Bolsonaro com relação ao lado político e de popularidade. 

Publicidade

Mudança dos valores

Bolsonaro já teria dado o aval para que o ministro da Economia, Paulo Guedes, convença o Congresso em esticar o benefício. Para evitar um abalo financeiro ainda maior nos cofres públicos, o governo estudar reduzir o valor do Auxílio. Contudo, isso dependeria de uma aprovação do parlamento.

Publicidade

Na última prorrogação, oficializada em junho, o governo optou por manter o valor de R$ 600 em duas parcelas, justamente para evitar uma negociação com o Congresso. Inicialmente era previsto um calendário distribuído com quatro parcelas, e valores diferenciados. 

Publicidade

A redução do Auxílio Emergencial deve encontrar resistência do parlamento, uma vez que em ano eleitoral ninguém deseja ficar com o “título” que votou contra os mais necessitados.

Palavra de Maia

Em entrevista concedida ao programa Roda Viva, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que será necessário analisar a proposta que o governo vai encaminhar. Maia ainda relembrou que antes do presidente oficializar a última prorrogação, ele citou a importância de debater o assunto no Congresso.

Publicidade
Publicidade