in

Estudante picado por Naja é preso em seu apartamento e fez gesto polêmico diante das câmeras

Jovem de 22 anos teve prisão temporária de cinco dias decretada nesta quarta (29).

Metrópoles

O estudante de medicina veterinária Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkuhl de 22 anos foi preso nesta quarta-feira (29) pela 14ª Delegacia de Polícia de Gama. O mandado de prisão foi cumprido no apartamento onde o jovem mora com a mãe e o padastro, um coronel da PM do Distrito Federal. O casal também investigado por possíveis crimes ambientais e ocultação de provas.

Publicidade

Pedro Henrique foi picado por uma cobra Naja que criava como animal de estimação, e chegou a ficar em coma, sendo necessário importar o soro antiofídico do Instituto Butantan, em São Paulo, e também dos Estados Unidos. 

A espécie rara teria sido trazida para a capital federal após a liberação de uma licença irregular, emitida por uma funcionária do Ibama que foi afastada das suas funções. Intitulada de Snake, a operação investiga crimes ambientais e possível tráfico de animais. Além de Pedro Henrique e o casal, amigos do jovem estudante também são alvos da operação.

Publicidade

Gesto obsceno

Ao ser preso nesta manhã, Pedro Henrique mostrou o dedo médio para os repórteres que faziam a cobertura do caso. O registro foi feito pela repórter do Metrópoles, Rafaela Feliciano.

Publicidade

Por conta de uma possível fragilidade do estudante por conta que o mesmo recebeu alta hospital há poucos dias, um perito médico-legista da PCDF acompanhou a diligência para verificar as condições de saúde de Pedro Henrique, que nos últimos dias tinha como álibi um atestado médico.

Publicidade

O jovem de 22 anos teve prisão temporária com prazo de cinco dias decretada pela 1º Vara Criminal do Gama. As investigações constataram indícios que o estudante juntamente com outros alvos da operação estariam envolvidos em uma associação que teria cometido crimes ambientais. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade