in

Covid-19: os riscos do ar condicionado, notas e moedas na transmissão do vírus

O novo coronavírus, que provoca a doença Covid-19, continua com muito por descobrir.

Coronavírus - SAPO

A Covid-19 continua fazendo milhares de vítimas diariamente. Infelizmente, a pandemia está longe de ficar controlada, enquanto cientistas continuam tentando evitar o pior. A busca por uma vacina ou por uma cura continua, quando a Organização Mundial de Saúde continua deixando alguns alertas importantes, sobre o contágio do novo coronavírus, o SARS-CoV-2.

Publicidade

Novo coronavírus continua preocupando a todos 

A fácil propagação desse vírus continua sendo a maior dor de cabeça não só para os investigadores científicos, mas também para políticos e líderes dos países. Afinal, impedindo esse contágio tudo ficaria mais fácil. Porém, por todo o mundo, continuam muitos surtos, e a doença vai-se espalhando com facilidade.  

Então, um dos maiores problemas quanto a esse vírus é o desconhecimento. Como não se sabe se as pessoas estão contagiadas fica fácil para o vírus continuar circulando. Só mesmo o teste mostra se a pessoa está infetada. De outro modo, muitas vezes sem sintomas, as pessoas podem ter o vírus e continuar fazendo uma vida normal, contagiando outros.  

Publicidade

À medida que se vai estudando e conhecendo um pouco melhor esse vírus, muitos acreditam que se vai tornar mais fácil lidar com ele. Porém, os espaços fechados continuam sendo uma dor de cabeça, daí essa necessidade do uso de máscara sempre que possível. De acordo com alguns estudos, ficar mais do que vinte minutos em um espaço fechado, sem máscara, pode facilitar a infeção. Portanto, restaurantes, bares, escolas, transportes públicos podem ser um local fácil de contágio.  

Publicidade

Riscos de infeção do novo coronavírus 

Porém, de acordo com as novas indicações, parece que o ar condicionado não aumenta esse risco de infeção. Durante muito tempo se falou que o ar condicionado poderia fazer circular mais os vírus, mas a Direção Geral de Saúde (DGS) revelou, essa terça-feira, que isso não é verdade. “A transmissão ocorre maioritariamente através de secreções e gotículas e do contacto próximo com pessoas infetadas, não excluindo a possibilidade de transmissão por aerossóis”, revelou a DGS, em comunicado.  

Publicidade

Também sobre o dinheiro, passando de mão e mão, parece que o risco não é tão elevado, como se falava inicialmente. Então, o pagamento em dinheiro, mesmo recebendo troco, é seguro, de acordo com a DGS. Desde que as pessoas continuem higienizando suas mãos, como é recomendado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade