in

Mãe de adolescente morta por amiga presta depoimento e desabafa: ‘Espero justiça’

Adolescente que executou o disparo pratica tiro esportivo há mais de um ano.

Reprodução - Metrópoles

Na última semana, a jovem Isabele, de apenas 14 anos, foi morta por uma amiga da mesma idade com um tiro de pistola em um condomínio de luxo em Cuiabá, no Mato Grosso. Segundo a jovem, o disparo que vitimou Isabele ocorreu após a arma, que pertencia à família do seu namorado, ter caído no chão.

Publicidade

Nesta terça-feira (21), a mãe da vítima, Patrícia Hellen Guimarães, prestou depoimento na Delegacia Especializada do Adolescente (DEA), que durou cerca de duas horas. Após o depoimento, a mãe de Isabele falou mais uma vez sobre a tragédia e reiterou sua posição de não acreditar na versão contada pela adolescente à polícia, que o disparo teria sido acidental.

Em entrevista à TV Centro América, afiliada da Globo no Mato Grosso, Patrícia disse que ninguém soube explicar nada sobre o ocorrido. “Perguntei para todos como aquilo tinha acontecido, como minha filha acabou no banheiro com uma arma, como o disparo aconteceu e ninguém soube me dizer. Ninguém soube me explicar nada. O que eu espero agora é justiça”, disse Patrícia. 

Publicidade

Patrícia ainda revelou que sabia que todos da família eram praticantes de tiro esportivo, mas não desconfiava que eles tinham um “arsenal” de armas em casa, e que estas circulavam na casa de forma deliberada.

Publicidade

Apreensão de armas

Na residência onde ocorreu a morte de adolescente de 14 anos, a polícia apreendeu sete armas, duas delas sem registro. O pai da adolescente que disparou contra Isabele, Marcelo Marins Cestari, foi preso por porte ilegal. Contudo, após o pagamento de fiança foi solto.

Publicidade

Além da família Cestari, há uma outra família envolvida no caso – a do namorado da adolescente. O garoto de 16 anos foi sozinho à casa da namorada no domingo, portando duas armas, que são de propriedade do seu pai, um revólver e uma pistola 380, da qual saiu o disparo fatal. O adolescente e o pai ainda não prestaram depoimento à polícia, mas já se colocaram à disposição das autoridades para esclarecimentos.

A jovem de 14 anos que efetuou o disparo já pratica tiro esportivo há alguns anos. O esporte foi liberado para adolescentes no ano passado, após decreto do presidente Jair Bolsonaro.

Publicidade