in

Vacina testada no Brasil apresenta resultados importantes

País sul-americano segue computando índice elevado de novos casos da pandemia da Covid-19.

UOL

Tida como a vacina contra a Covid-19 mais adiantada em escala global, o imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford está sendo testado em vários países do mundo e os resultados até o momento são satisfatórios. Nesta segunda-feira (20), os cientistas da universidade anunciaram que a vacina é segura e induz resposta imune.

Publicidade

Estes resultados correspondem às duas primeiras fases de testes da imunização. Um dos principais epicentros da Covid-19 no mundo, o Brasil está recebendo a terceira fase da testagem. Segundo os especialistas, o efeito deve ser reforçado após uma segunda dosagem da vacina.

Nas primeiras fases dos testes, 1.077 voluntários receberam a vacina, onde foi possível constatar que o imunizante foi capaz de induzir a resposta do organismo tanto por anticorpos como por células T até 56 dias após aplicação da dose. Serão necessários mais testes para de fato se obter a confirmação de que a vacina tem a eficácia de proteger contra infecções.

Publicidade

Estados que estão recebendo os testes

Cerca de 50 mil pessoas participam dos testes da vacina de Oxford pelo mundo. Deste montante, 5 mil são no Brasil, sendo distribuída nos estados de São Paulo (2 mil testes), Bahia (2 mil testes) e Rio de Janeiro (1 mil testes).

Publicidade

Publicidade

Segundo Soroia Smaili, reitora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o cenário mais positivo aponta um possível registro para a vacina em junho de 2021.

Além da vacina de Oxford, o imunizante do laboratório Sinovac, da China, chegou ao Brasil, e terá sua fase de testes iniciada a partir desta segunda-feira (20), com o estudo sendo administrado pelo Instituto Butantan. Neste leva de teste, nove mil voluntários receberão a dose da Coronavac.

Publicidade
Publicidade
Publicidade