in

Vacina para Covid-19 começa a ser testada nesta segunda (20) no Brasil; quais estados receberão as doses?

Coronavírus segue registrando números expressivos de novos infectados e novos óbitos diariamente em solo nacional.

Tânia Rêgo/Agência Brasil

Um dos principais epicentros da pandemia do coronavírus em escala global, o Brasil recebeu na madrugada desta segunda-feira (20) um lote de vacinas produzido pelo laboratório chinês Sinovac Biotech, que será testado em voluntários. Após 11 horas de viagem, o imunizante chegou em Guarulhos por volta das 4h20.

Publicidade

O material seguirá para o Instituto Butantan, que ficará responsável por conduzir o estudo. A fase de testagem já foi liberada pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e deve durar cerca de três meses.

Nesta primeira etapa, o Conep buscará comprovar a segurança e a eficácia da vacina intitulada de Coronavac. Ao todo, nove mil voluntários serão recrutados para a fase de testes. A inscrição para receber a vacina foi iniciada na última semana, e já se aproximava de mais de 1 milhão de candidatos. Os testes se iniciarão já nesta segunda-feira (20).

Publicidade

De acordo com o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, a Coronavac é considerada uma das vacinas mais promissoras para o combate à Covid-19. Ele se mostra confiante em disponibilizar o imunizante para todo o país ainda no fim deste ano ou no início de 2021, tendo em vista os bons resultados apresentados até o momento em outros países.

Publicidade

Estados participantes

Nesta primeira fase de testes, os estados contemplados com a Coronavac serão: São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e o Distrito Federal. Para receber o imunizante, o voluntário deve preencher uma série de pré-requisitos, entre eles não terem sido infectados pelo vírus e nem devem participar de outros estudos. No caso de mulheres, estas não podem estar grávidas ou planejar uma gestação nos próximos meses.

Publicidade

As pesquisas serão iniciadas na USP, após autorização seguirão para UnB, em Brasília, no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio de Janeiro; no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos da Universidade Federal de Minas Gerais; no Hospital São Lucas da PUC do Rio Grande do Sul e no Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná.

No último balanço divulgado, o Brasil computava mais de 78 mil óbitos em decorrência da Covid-19.

Publicidade
Publicidade
Publicidade