in

Mãe de menina de 14 anos que levou tiro na cabeça da amiga fala pela 1ª vez, e o que diz é muito forte

A adolescente que fez o disparo conhecia bem armas. Agora a mãe quer justiça no caso.

TV Globo / Montagem

Patrícia Hellen Guimarães, mãe da menina Isabele, deu uma entrevista pela primeira vez à televisão neste domingo, 19 de julho. Ela falou sobre a morte da filha. A adolescente, de apenas 14 anos, tinha ido passar um dia na casa de uma amiga, de 16 anos. A garota e a família são parte dos chamados Cacs – caçadores, atiradores e colecionadores. 

Publicidade

Durante a tarde, uma das armas dessa família teria caído no chão e disparado sozinha. Um tiro entrou pela narina de Isabela e ela morreu na hora. O caso ocorreu em um condomínio de alto padrão no estado do Mato Grosso. Patrícia, mãe de Isabele, disse que se sabia que a família praticava tiro esportivo, mas que não tinha ideia de que armas de fogo pudessem ser largadas pela casa. 

‘Minha filha foi fazer um bolo e saiu carregada pelo IML’, disse ela, que garantiu que se soubesse que armas teriam na casa e o descuidado da família, jamais teria permitido a ida da sua filha até o local. 

Publicidade

Além da família da adolescente de 16 anos, com quem Isabele passava o dia, outra família também é investigada pela polícia. Isso porque o namorado da jovem de 16 anos é quem teria levado a arma que atirou acidentalmente para a casa. O pai desse adolescente já foi ouvido pela polícia. 

Publicidade

As armas levadas seriam um revólver e uma pistola 380. Desde o ano passado, um decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro permite que pessoas, a partir dos 14 anos, possam praticar o chamado tiro esportivo. Para a mãe de Isabele, a justiça precisa ser feita. Ela diz que não acredita que uma arma possa disparar tão facilmente sozinha e que, por isso, contratou um advogado para o caso. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.