in

Sari Corte Real virá ré no caso Miguel e pode passar duros anos na cadeia

Pena pode ser aumentada, caso justiça entenda que Sari abandonou criança em plena situação de catástrofe.

G1 / Montagem

A morte do menino Miguel, de apenas 5 anos de idade, ganhou um novo capítulo nessa quarta-feira, 15 de julho. Isso porque a patroa da mãe do menino, Sari Corte Real virou ré pela justiça do estado de Pernambuco. Ela agora tem dez dias para responder por abandono de incapaz, que resultou em morte.

Publicidade

Sari Corte Real vai responder ao chamado artigo 133 do código penal. A pena nele pode chegar a até cinco anos de reclusão. No entanto, podem existir acréscimos de tempo por a vítima ser uma criança e por o abandono ter ocorrido em meio à uma catástrofe, já que o mundo vive uma pandemia de coronavírus.

A justiça aceitou a denúncia, após o inquérito da Polícia Civil de Pernambuco ter sido conclusivo contra Sari. Outra entidade que também entendeu que houve delito na ação da primeira-dama de Tamandaré, e que ele se caracterizaria realmente por abandono de incapaz. 

Publicidade

Sari Corte Real demonstrou frieza em entrevista ao Fantástico e mãe de Miguel pede justiça

Recentemente, a mulher que estava responsável pela morte de Miguel deu uma entrevista ao Fantástico. A conversa acabou gerando grande repercussão, pois Sari foi considerada fria. A primeira-dama de Tamandaré diz que fez tudo o que pôde, mas que se pudesse voltaria no tempo e não deixaria o menino sozinho no elevador. 

Publicidade

A mãe do menino, Mirtes, chegou a dizer que espera que Sari tenha a maior pena possível diante do caso. Ela e familiares também fizeram manifestações para que o caso não ficasse impune. Uma delas ocorreu no início da semana, quando houve uma manifestação em frente ao Ministério Público. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.