in

Família procura corpo de vítima da Covid-19 no Rio; aposentado pode ter sido enterrado por engano

Homem de 58 anos acabou contraindo e morrendo de Covid-19 em hospital cardiológico do Rio de Janeiro.

Extra

Uma família no Rio de Janeiro vive a angústia de procurar uma vítima fatal da Covid-19. Não bastasse a dor do luto, os filhos de Alfredo Moura, de 58 anos, acabaram registrando um boletim de ocorrência no 9º DP (Catete) por conta do desaparecimento do corpo do aposentado no Instituto Nacional de Cardiologia, situado na zona sul da cidade.

Publicidade

Há aproximadamente dois meses, Alfredo Moura deu entrada na unidade hospitalar para a realização de uma cirurgia cardiológica. No entanto, o aposentado acabou sendo infectado pelo coronavírus, e acabou não resistindo no último dia 10 de julho.

De acordo com um dos filhos, o corpo do pai precisou ser reconhecido por foto devido ao risco de contaminação. O grande problema é que a primeira fotografia apresentada pelo hospital não era de Alfredo Moura. Após a negativa dos familiares, o hospital trouxe uma segunda foto que correspondia à imagem da vítima.

Publicidade

Contudo, os familiares de Alfredo ficaram inseguros com a incerteza do hospital e desconfiaram do equívoco, pedindo assim para fazer o reconhecimento pessoalmente. Feito isso, o erro foi identificado. O corpo que estava no necrotério do Instituto Nacional de Cardiologia não era do aposentado.

Publicidade

Justiça acionada

Diante do equívoco grave, os filhos de Alfredo Moura acionaram rapidamente a Justiça pedindo a exumação do corpo que poderia ser do aposentado. Inicialmente, o pedido foi negado, sob alegação de alto “risco de contaminação para familiares e contactantes”. Entretanto, na última terça-feira (14), o TJ-RJ autorizou a exumação para o reconhecimento e identificação por parte das famílias envolvidas.

Publicidade

Em uma nota divulgada, a unidade hospitalar afirmou que está dando todo suporte aos familiares para o que caso seja resolvido.

Publicidade
Publicidade
Publicidade