in

Auxílio Emergencial: pagamento de novas parcelas poderá ser suspenso; quem corre risco?

Caixa Econômica Federa liberou nesta terça-feira (14) saques e transferências da primeira parcela do 3º lote.

Globo

O Auxílio Emergencial tem sido de fundamental importância para milhares de brasileiros contornarem o cenário de crise implantado por conta da pandemia do coronavírus. No entanto, muitas pessoas têm solicitado o benefício criado pelo governo federal de forma indevida.

Publicidade

De olho nesta situação, o Ministério da Cidadania juntamente com a Caixa Econômica Federal, tem suspendido o pagamento de milhares de benefícios que não cumprem os pré-requisitos estabelecidos pelo Dataprev, ou não forneceu informações verídicas no preenchimento da solicitação.

E diante desta operação “pente fino”, a Caixa Econômica Federal vem suspendendo inúmeros cadastros, e continua bloqueando beneficiários, mesmo estes tendo recebido alguma das parcelas.

Publicidade

A cada novo lote de pagamentos, o governo faz uma reanálise dos dados. Se encontradas irregularidades e possíveis alterações, a pessoa inscrita no programa pode ter as suas parcelas suspensas.

Publicidade

“Tem casos de pessoas que receberam a 1ª parcela e, agora, em uma reanálise. A situação mudou por algum motivo, e elas estão em nova análise ou não tiveram o direito ao benefício”, disse a vice-presidente da Caixa, Tatiana Thomé.

Publicidade

Números elevados

Segundo relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), mais de 600 mil pessoas que se cadastraram no Auxílio Emergencial de forma indevida já tiveram o benefício cancelado.

Entre os principais casos estão: pessoas que não cumprem os pré-requisitos financeiros, brasileiros fora do país, pessoas que estão recebendo outros pagamentos do governo, como seguro-desemprego, e até pessoas mortas foram cadastradas para receber o auxílio.

Publicidade
Publicidade
Publicidade