in

Caso Rafael: mãe do menino tentou colocar culpa no pai e até em irmão: ‘Pensava nela em primeiro lugar’

Alexandra foi indiciada pelo Ministério Público por assassinato do próprio filho e outros três crimes.

Record / Montagem

Um dos casos criminais de maior repercussão no país recentemente foi a morte do menino Rafael. Ele foi assassinado pela própria mãe, Alexandra Dougokenski, de 33 anos de idade. Nessa semana, o Ministério Público aceitou o inquérito da Polícia Civil do Rio Grande do Sul. Com isso, o Ministério Público indiciou Alexandra Dougokenski pelo homicídio do menino e outros três crimes.

Publicidade

A revelação foi feita em uma coletiva realizada nesta sexta-feira, 10 de julho, por meio de um videoconferência. Os outros crimes de Alexandra Dougokenski seriam falsidade ideológica, fraude processual e ocultação de cadáver. A promotora de justiça da cidade de Planalto, Michele Kufner, falou com jornalistas sobre o processo. 

Ela contou que durante a coletiva que Alexandra Dougokenski tentou colocar a culpa da morte da criança no pai do menino Rafael. Rodrigo Winques, e até no próprio irmão dela, tio do menino. 

Publicidade

“Temos convicção de que Alexandra agiu sozinha. Mesmo diante de crime bárbaro e impactante, ela pensava nela em primeiro lugar. Ela queria encontrar uma forma de que a responsabilidade saísse dela e fosse pra outra pessoa”, disse a promotora de justiça. 

Publicidade

Em outro momento, Michele contou que a conclusão do caso é que o garoto já estava dormindo, quando ele foi assassinado pela própria mãe. A perícia feita no corpo do menino, segundo a promotora de justiça, não encontrou qualquer defesa do menor de idade. Vizinhos também não ouviram gritos do garoto, o que reforça a hipótese de que ele estava dormindo, quando tudo aconteceu. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.