in

Neta se sacrifica para cuidar de avó com Covid-19 e morre dias depois da idosa: ‘Se entregou de corpo e alma’

Estudante morreu em menos de duas semanas depois de sepultar a avó, que também fora vítima da Covid-19.

Lucas Felipe/Arquivo Pessoal - G1

A pandemia do novo coronavírus segue registrando novos casos e vitimando inúmeras pessoas em solo nacional diariamente. Neste cenário de caos, histórias de vítimas vão sendo contadas e emocionam, nem sempre com um esperado “final feliz”. Dias depois de presenciar o falecimento da avó, a estudante de pedagogia Luana de Oliveira, de 35 anos, acabou falecendo também em decorrência da Covid-19.

Publicidade

Ela havia se isolado com a avó, Izabel Edimundo Bento de Oliveira, de 83 anos, desde quando a idosa apresentou sintomas da doença, que já vitimou mais de 68 mil pessoas no país.

Em entrevista ao G1, o irmão de Luana, Lucas Felipe de Oliveira, de 37 anos, contou que as mortes ocorreram em um curto intervalo de apenas 13 dias. Ambas moravam na comunidade Prainha Branca, que fica a uma certa distância do centro de Guarujá, litoral paulista.

Publicidade

De acordo com Lucas, a irmã tinha problemas de saúde, no entanto, mesmo assim se sacrificou para cuidar da avó.

Publicidade

“A Luana tinha problemas de bronquite e asma. Ela sabia dos riscos, mas se entregou de corpo e alma para cuidar da minha avó”, explica Lucas.

Publicidade

Segundo ele, Dona Izabel, respeitou todo o isolamento social, e mudou totalmente sua rotina quando os primeiros casos surgiram na comunidade. Mesmo assim, a idosa de 83 anos acabou sendo contaminada, a família não sabe se ela foi infectada após alguma visita, ou saída do seu irmão de 62 anos, que também morava na residência.

Comoção

Toda a família de Dona Izabel e Luana juntamente com a comunidade de Prainha Branca ficaram abalados com o falecimento das duas. Durante o sepultamento da idosa, Luana já apresentou os primeiros sintomas da Covid-19. Decidida a fazer o exame, a estudante acabou testando positivo. 

Inicialmente, ela ficou em isolamento na sua residência, mas dias depois precisou ser internada devido o agravamento da doença, e não resistiu. Ela era casada e tinha um filho de seis anos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade