in

Caso Miguel: mãe do menino denuncia novo crime e drama sem fim de Mirtes mexe com o Brasil

‘Esse perfil está se aproveitando da minha situação para ganhar seguidores e roubar as pessoas’, disse Mirtes Souza.

G1 / Montagem

A morte do menino Miguel Otávio gerou uma onda de comoção em todo o Brasil. O garoto, de apenas cinco anos de idade, acabou caindo do nono andar de um prédio da grande Recife, no estado de Pernambuco. No momento do acidente, Miguel Otávio estava sob os cuidados da patroa da mãe. A empregada doméstica Mirtes trabalhava para Sari Corte Real, primeira-dama da cidade de Tamandaré. 

Publicidade

Nesta terça-feira, 7 de julho, o drama sem fim de Mirtes, que perdeu o único filho, ganhou um novo capítulo. Ela denunciou ao portal de notícias G1 um novo crime. De acordo com ela, pessoas mal intencionadas estão usando o seu nome e o do menino para realizar uma “vaquinha” virtual falsa na web. 

De acordo com a empregada doméstica, ela não participa de nenhuma arrecadação virtual e que, diferente do texto presente na internet, ela possui casa própria. 

Publicidade

“É falso. Eu tenho 33 anos, era empregada doméstica ao invés de ser diarista e a minha casa é própria”, disse Mirtes em entrevista ao portal de notícias G1 sobre o assunto. Ainda segundo a mãe do menino Miguel, até o final da manhã, ela iria à Delegacia de Crimes Cibernéticos da Polícia Civil de Pernambuco.

Publicidade

Mãe de Miguel chegou a ter perfil no Instagram hackeado após morte do filho

Publicidade

Segundo Mirtes, ela acredita que esse perfil na internet que roubar pessoas usando o seu nome. Esse é o segundo crime de internet que a empregada doméstica sofre, desde a morte do menino. Ela chegou a ter uma conta pessoal no Instagram hackeada. Mirtes teve várias imagens que só guardava nessa conta apagadas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.