in

Madeleine McCann: família recebe carta sobre desfecho do caso e detalhes são assustadores

Nas últimas semanas, novas evidências surgiram e reacenderam as investigações sobre o caso.

UOL

Um dos crimes mais conhecidos no cenário mundial parece estar próximo de seu desfecho. No ano de 2007, a família McCann passava férias na vila da Luz, na cidade de Lagos, em Algarve, Portugal. Tudo parecia correr bem, até que Madeleine McCann, de apenas 3 anos, filha de Gerry e Kate, despareceu do quarto onde dormia. O casal estaria jantando junto a outro casal de amigos como de costume, e os casais se revezaram para verem como as crianças dormiam.

Publicidade

Em uma das rondas, foi notado que Madeleine não estaria no quarto, e a polícia local foi acionada imediatamente. Grupos da Polícia Marítima, um helicóptero da Proteção Civil e inúmeros voluntários se uniram na busca da menina, porém, sem êxito. Pouco tempos depois, vários veículos de comunicação já noticiavam o desaparecimento da pequena Madeleine McCann.

Durante as investigações, Gerry e Kate, pais da menina, chegaram a serem apontados como suspeitos pelo desaparecimento da filha, porém, a justiça descartou esta hipótese tempos depois. 13 anos se passaram após Madeleine McCann, e reviravoltas sobre o caso vieram à tona nas últimas semanas.

Publicidade

No último dia 5 de junho, um suspeito do crime foi identificado pela polícia. De acordo com o site UOL, Christian Brückner, condenado pelo estupro de uma idosa, estaria na região da vila da Luz à época do desaparecimento de Madeleine. Porém, o promotor responsável pelo caso, Hans Christian Wolters, afirmou que Brückner não deveria ser levado a julgamento pelo caso por falta de evidências concretas.

Publicidade

Um triste fato chegou ao conhecimento Gerry e Kate nos últimos dias. O promotor Hans Christian Wolters encaminhou uma carta à família informando que haviam evidências concretas de que Madeleine teria sido morta. “Temos evidências concretas de que nosso suspeito matou Madeleine. A polícia britânica foi informada, mas não tem as evidências que temos”, disse Wolters na carta enviada aos pais da menina. Amostras de saliva teriam sido coletadas do local onde Madeleine desapareceu, e a polícia fará o confronto do material com o DNA de Brückner. Esta pode ser a última peça para que o caso seja finalmente desvendado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade