in

Auxílio Emergencial: tudo o que se sabe sobre o pagamento da 4ª parcela; quem recebe primeiro?

Governo Federal anunciou nesta semana a prorrogação dos pagamentos do recurso.

Divulgação - Agência Brasil

No último sábado (04), a Caixa Econômica Federal creditou a última leva do calendário dos beneficiários do programa Auxílio Emergencial de acordo com o mês de nascimento. Diante disso, cresce a expectativa dos brasileiros acerca da divulgação do cronograma das parcelas extras que o governo federal anunciou nesta semana.

Publicidade

Oficialmente, não há ainda uma data prevista para o início dos pagamentos, bem como não ficou definido se serão duas, três ou quatro parcelas que o montante de R$ 1.200 será distribuído aos milhares de brasileiros que integram o programa. O cenário quase certo é que o pagamento da 4ª parcela do Auxílio Emergencial será efetuado ainda em julho para beneficiários que integram o programa Bolsa Família.

Seguindo a lógica aplicada nos meses anteriores, os repasses do recurso se baseiam no dígito final do Número de Identificação Social (NIS), diferente dos demais beneficiários que recebem de acordo com o mês de aniversário. Com isso, ao que tudo indica a quarta parcela do Auxílio Emergencial terá o pagamento iniciado a partir do dia 20 de julho.

Publicidade

Vale lembrar que beneficiários do programa Bolsa Família têm direito a efetuar o saque de forma antecipada, diferentemente de outros brasileiros, que recebem via poupança digital, e possuem um calendário distinto, dividido em duas modalidade.

Publicidade

Data de pagamento para os integrantes do Bolsa Família:

  • 20 de julho – NIS final 1
  • 21 de julho – NIS final 2
  • 22 de julho –  NIS final 3
  • 23 de julho – NIS final 4
  • 24 de julho –  NIS final 5
  • 27 de julho – NIS final 6
  • 28 de julho –  NIS final 7
  • 29 de julho –  NIS final 8
  • 30 de julho – NIS final 9
  • 31 de julho –  NIS final 0

Custos elevados

A ampliação do Auxílio Emergencial em mais dois meses que pagará mais R$ 1.200 aos brasileiros alavancou ainda mais os gastos do governo federal com o programa. Para esta nova leva, o Ministério da Cidadania recebeu mais R$ 101,6 bilhões para efetuar o pagamento das parcelas extras.

Publicidade

Com isso, o programa já tem um custo de R$ 254,2 bilhões. Em uma live recente, o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou que o Auxílio Emergencial dificilmente será prorrogado mais uma vez. Isto porque, a economia do país já está fragilizada, e novas parcelas poderiam fazer o Brasil entrar em um colapso financeiro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade