in

Esperança! Pesquisadores brasileiros podem ter descoberto a cura da AIDS; um paciente já foi curado

O estudo começou em 2013 por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

ass

A notícia de que a cura para a AIDS pode estar mais próxima do que se imagina vai parar o mundo. Isso porque pesquisadores brasileiros podem finalmente ter descoberto a cura para a doença.

Publicidade

O estudo começou em 2013 por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O estudo, coordenado pelo infectologista Ricardo Sobhie Diaz, foi feito em escala global com o objetivo de testar um nova espécie de tratamento em pessoas contaminadas pelo HIV. 

Através desse estudo, os pesquisadores conseguiram ter resultado positivo e eliminar o vírus de uma pessoa que há sete anos convivia com a doença. O paciente curado deu uma entrevista à CNN e disse se sentir aliviado com o teste negativo para a doença. Até hoje, apenas dois casos de cura tinham sido reconhecidos pela comunidade científica.

Publicidade

A pesquisa foi feita com 30 voluntários que tinham carga viral indetectável de HIV. Todos os pacientes estavam em tratamento há mais de dois anos. 

Publicidade

O que foi feito? 

A equipe de pesquisadores utilizou um misto de medicamentos, que consiste em substâncias que matam o vírus da AIDS, e uma vacina. Essa vacina, produzida com o DNA da própria pessoa, é capaz de fazer com que o sistema imunológico consiga reagir e encontrar células que estão infectadas. Além da vacina, outras quatro drogas são administradas pelos pesquisadores. 

Publicidade


“A gente intensificou o tratamento. Usamos três substâncias no estudo, além de criar uma vacina”
, disse o pesquisador em entrevista à rede de televisão CNN Brasil. 

Nova fase de testes com o dobro de pessoas será feita em breve

O estudo no momento está paralisado devido à pandemia do coronavírus. Na próxima fase é esperado que o dobro de pessoas possam testar os medicamentos.

De acordo com a Unaids, programa conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids, no mundo, até dezembro de 2018, 37,9 milhões de pessoas estavam infectadas com HIV. 

Publicidade

Escrito por Anna Müller

Bastante ativa nas redes sociais, escrevo conteúdo sobre os mais diversos assuntos para a plataforma i7 Network.