in

Sede de justiça: como vive mãe de Miguel um mês após morte pode te levar às lágrimas

A morte de Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, completou um mês ontem e mãe quer justiça.

Extra

A morte do menino Miguel completou nessa semana um mês. Desde então, como vive a mãe do garoto, Mirtes Renata, tem sido muito triste. Ela diz que ainda chora pelos cantos da casa e que tem o que chama de “sede de justiça”. É o que mostra uma matéria publicada pelo site do jornal carioca Extra nesta sexta-feira, 3 de julho. 

Publicidade


“Não é sede de vingança, é sede de justiça. Eu disse a eles que vou mover céus e terras, mundos e fundos, para que ela pague pelo que fez ao meu filho’,
disse Mirtes em uma entrevista, lembrando o que ocorreu depois do filho cair do nono andar de um prédio de luxo da grande Recife, no estado de Pernambuco. 

A mãe de Miguel confessou ainda que não tem sonhos positivos com o filho, mas apenas pesadelos. Todas as vezes que dorme, ela vê o filho estirado no chão, agonizando. Miguel não morreu no local. Mirtes e a sua então patroa, Sari Corte Real, levaram a criança ainda com vida até a um hospital da região. Infelizmente, lá, o menino não resistiu. 

Publicidade


“Todo dia peço a Deus para cuidar do meu neguinho, até o dia do nosso reencontro”,
confirma a mãe do menino, que está inconsolável. A ex-patroa de Mirtes inicialmente seria indiciada por homicídio culposo, quando não há a intenção de matar. No entanto, agora a polícia fez uma mudança e deve terminar o inquérito acusando Sari de abandono de incapaz, cuja pena é maior. 

Publicidade

Ainda na semana em que a morte de Miguel completa um mês, Mirtes chegou a ir até à delegacia, onde a primeira-dama de Tamandaré depôs. Por lá, Sari teria sido fria, segundo a mãe da vítima.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.