in

Cientista da OMS afirma que número de casos da Covid-19 pode ser dez vezes maior

Estados Unidos e Brasil aparecem entre os mais países mais infectados pela pandemia.

Montagem: i7 Network

A pandemia do coronavírus segue assolando a população mundial com o surgimento de novos casos em larga escala diariamente. Em paralelo ao avanço do vírus em muitos países, laboratórios correm para obterem êxito na fabricação de vacinas, tido como único agente eficaz para controlar a doença.

Publicidade

Integrante da Organização Mundial da Saúde (OMS), a cientista Soumya Swaminathan afirmou em entrevista que não dá para fixar uma real taxa de mortalidade da Covid-19, isto porque não é possível comparar os números atuais de mortes e de casos.

De acordo com ela, alguns estudos apontam que seria necessário comparar taxas de casos de duas semanas antes do início da pandemia. Soumya ainda revelou que entre os cientistas pesquisas indicariam que o número real de infectados pela Covid-19 poderia ser dez vezes maior que a taxa que vem sendo registrada.

Publicidade

Razões

O motivo para isso seria o fato de apenas pessoas com sintomas mais severos realizarem testes, além do fato de que muitos lugares muito não têm acesso aos exames. Sem dar fontes e detalhes sobre estas pesquisas, a cientista ainda explicou que este tipo de conclusão foi facilmente detectada nos exames realizados em populações para saber se eles tinham anti-corpos.

Publicidade

“O que sabemos é aqueles que são testados, ou aqueles que ficam muito doentes, ou que têm acesso”, disse. “Em pesquisas realizadas sobre anti-corpos, é claro que o número de pessoas infectadas é dez vezes maior ao número de pessoas diagnosticadas como sendo “casos”, que é o que é contada”, disse.

Publicidade

Números da pandemia

Em escala global, o coronavírus já infectou mais de 10 milhões de pessoas, destes quase 5,5 milhões já se recuperaram da doença, enquanto 516 mil foram vítimas fatais da Covid-19.

Publicidade
Publicidade
Publicidade