in

Covid-19: pesquisa canadense põe em dúvida testes rápidos

Estudo do Canadá questiona confiabilidade do resultado do diagnóstico do teste de coronavírus.

G1-Globo

Durante a pandemia, os hospitais e pontos de atendimentos do Covid-19 ficaram com dificuldade de fazer exames para diagnosticar tantos pacientes com sintomas, e esperar a resposta de duas semanas do resultado.
Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou uma medida para solucionar o problema em relação ao tempo de espera do resultado, possibilitando os testes rápidos em estabelecimentos como farmácias e drogarias, para diagnósticos de Covid-19, nos meados do mês de maio de 2020. 

Publicidade

Devido à necessidade da realização dos testes rápidos para o diagnóstico da Covid-19, os pesquisadores canadenses decidiram fazer um estudo amplo para avaliar a confiabilidade do resultado dos testes sorológicos e, colocaram em crédito se realmente os testes rápidos têm eficácia.

Foram realizados 40 estudos, e a revista britânica The BMJ, evidenciou um artigo em que pesquisadores avaliaram: “Encontramos grandes fragilidades na base de evidências para testes sorológicos para a Covid-19. A evidência não apoia o uso continuado de testes sorológicos no local de atendimento para a Covid-19.

Publicidade


Os pesquisadores afirmaram que o teste realizado na farmácia, segundo a revisão bibliográfica dos estudos realizados, tem a apresentação de resultados inferiores aos ensaios que são feitos nos laboratórios, devido à baixa quantidade de amostragem disponível, impossibilitando um resultado consistente e confiável.

Publicidade

Outro indicador que influencia na avaliação entre os testes rápidos e os clínicos, segundo os estudos, é a sensibilidade que se destaca nos resultados dos testes clínicos. Nos laboratórios foram realizados os ensaios de imunoabsorção enzimática (ELISA, em inglês), que apresentou uma reposta de confiança próxima à 84% e se mostrou mais eficazes que os imunoensaios de fluxo lateral (LFIA), que tiveram a resposta de apenas 66%.

Publicidade

“A revisão ressalta a necessidade de alta qualidade clínica estudos para avaliar essas ferramentas“, diz o estudo segundo os pesquisadores canadenses, e recomendaram que o diagnóstico da contaminação com o Covid-19 tenha o resultado positivo pelo RT-PCR (que identifica a presença do vírus ativo no corpo), e para a validação dos testes rápidos usem como referência este parâmetro.

Publicidade