in

Trump insulta chefes de Estado pelo telefone

Atitude, direcionada principalmente a líderes femininas, causa constrangimento na Casa Branca.

Fotos: Psk Slayer / Library of Congress Montagem: Richard Bromberg

“Oh meu Deus, não atenda essa ligação”, chegam a pensar alguns dos assessores do presidente americano Donald Trump toda vez em que ele está prestes a falar ao telefone com outros chefes de Estado. De acordo com uma série de depoimentos dados ao Jornal CNN por altos funcionários da Casa Branca que se dizem familiarizados com o conteúdo dessas conversas telefônicas, Trump costuma apresentar um comportamento agressivo e até mesmo abusivo com alguns dos líderes de outros países, aliados dos Estados Unidos ou não.

Publicidade

As vítimas mais constantes desse temperamento explosivo são as personalidades políticas femininas, segundo as testemunhas, que incluem os conselheiros de Segurança Nacional HR McMaster e John Bolton, o secretário de Defesa James Mattis, o secretário de Estado Rex Tillerson e o chefe de Gabinete da Casa Branca John Kelly, bem como funcionários da Inteligência dos EUA.

Insultada por Trump como “estúpida” e ainda acusada de “estar dentro do bolso dos russos”, a chanceller alemã Angela Merkel teve de ser instruída por seus assessores a adotar estratégias para manter a calma antes de iniciar qualquer debate com o presidente americano. Como revelou uma autoridade alemã, o conteúdo completo de um recente diálogo entre os líderes pelo telefone foi considerado tão incomum, que medidas especiais foram tomadas em Berlim para que as palavras ditas permanecessem em segredo.

Publicidade

Num dos acessos de fúria de Trump, a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, teve de escutar que “era fraca e sem coragem” em relação a sua abordagem ao Brexit, à OTAN e à imigração. As últimas conversas entre os dois líderes de Estado foram descritas como “humilhantes” por um dos altos funcionários da Casa Branca que preferiu não se identificar. “Trump claramente a intimidou e era mesmo o que pretendia fazer”, acrescentou.

Publicidade

Publicidade

“Eles são idiotas”

Os assessores de Trump também o acusam de não ler as instruções de protocolo antes de realizar as ligações para os outros chefes de Estado, agindo por impulso e segundo sua própria vontade, “um comportamento que tem potencial para colocar em risco a própria segurança do país”.

Além disso, contam que Trump costuma se vangloriar incessantemente a seus colegas estrangeiros, inclusive o herdeiro real autocrático da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, e o ditator norte-coreano Kim Jong Un, sobre “suas grandes realizações como presidente dos EUA”. Trump chegou a dizer que ele próprio era um gênio e, ao mesmo tempo, rotulou como “idiotas” os ex-presidentes americanos George W. Bush e Barack Obama.

Ainda segundo os depoimentos, em suas conversas com os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, Trump também não hesitou em destruir a imagem de Bush e Obama, chegando a sugerir que “conversar diretamente com ele, Trump, seria muito mais proveitoso do que costumava ser com seus antecessores”.

Publicidade
Publicidade
Publicidade