in

‘A Máscara dela caiu’: mãe de Miguel fica cara a cara com ex-patroa e não perdoa

A mãe de Miguel afirma ter desconhecido a ex-patroa, pela “frieza, arrogância e cinismo” com que ela se comportou na conversa.

JC

Mirtes, mãe do menino Miguel, esperou na porta de uma delegacia em Pernambuco até que sua ex-patroa, deixasse o local nesta terça-feira, 30 de junho. Sarí Corte Real ficou no lugar por algumas horas e obteve da polícia algumas regalias. A delegacia, por exemplo, abriu duas horas antes do previsto. 

Publicidade

Enquanto Mirtes segurava desolada a foto do filho morto, Sarí permanecia sentada, de braços cruzados. A socialite estava ao lado do companheiro, Sérgio Hacker, do PSB,  prefeito da cidade de Tamandaré. Cara a cara, as duas se encontraram pela primeira vez desde o velório do menino. Miguel morreu no dia 2 de junho, após cair do nono andar do prédio de Sarí.

O menino estava com a ex-patroa de Mirtes, que pediu a empregada que passeasse com os cachorros. Por conta da pandemia, Miguel estava sem aulas e essa virou a única possibilidade da empregada trabalhar. Além dela, a avó da criança também era empregada doméstica de Sarí. 

Publicidade

Segundo Mirtes, Sarí demonstrou frieza e até cinismo na conversa que teve com ela. A mãe de Miguel contou ao UOL que a primeira-dama de Tamandaré foi muito arrogante e que a desconheceu durante o tempo em que ficaram juntos. Mirtes disse que Sarí quase nada falou e que quando tentou falar foi impedida por Sérgio, seu marido,

Publicidade


“O que mais me doeu foi ver o desprezo que ela sentiu pelo meu filho. Não havia remorso em nenhuma de suas poucas palavras. O que posso dizer é que ontem, naquela sala da delegacia, a máscara dela caiu”,
disse a mãe de Miguel completamente desolada com o comportamento da ex-patroa. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.