in

Saiba o que fazer caso seu pedido de auxílio emergencial seja negado

Veja o que fazer quando o pedido é negado ou apresenta dados inconclusivos.

Jornal Contábil

Após a divulgação do aplicativo para cadastro de recebimento do auxílio emergencial, muitas pessoas usaram as redes sociais para dizer que o pedido havia sido negado mesmo atendendo a todas as condições para receber o valor de R$ 600 ou R$ 1200 pagos pelo Governo Federal.

Publicidade

De acordo com a assessoria de imprensa da Caixa Econômica Federal, o aplicativo do auxílio emergencial passou a possibilitar que seja feita uma nova solicitação ou contestação do primeiro resultado. As informações colocadas no aplicativo são analisadas pela Dataprev. Só então é definido se a pessoa tem ou não direito ao benefício.

O que fazer em caso de pedido negado

O auxílio emergencial já começou a ser pago a milhões de brasileiros que se enquadram nos requisitos para recebê-lo. Na última semana, o Senado aprovou que homens que cuidam da casa sozinhos tenham direito a R$ 1.200 de benefício, assim como as mães de família – mulheres solteiras que têm filhos. Motoristas de aplicativos também foram incluídos.

Publicidade

Qualquer pessoa que fizer o pedido e a resposta for “benefício não aprovado”, pode contestar o motivo e refazê-lo. Nas redes sociais, muitas pessoas reclamaram ao ter o benefício negado. Outras conseguiram após tentar novamente.

Publicidade

Publicidade

Benefício negado por dados inconclusivos

Quem acesso o aplicativo para pedir o benefício, sabe que há uma série de dados a serem preenchidos. O preenchimento incorreto acarreta em benefício negado por dados inconclusivos. Isso acontece em alguns casos. Se a pessoa não informar o sexo, por exemplo. Ou se inserir dados incorretos dos membros da família, como data de nascimento e CPF.

Além disso, se a marcação de chefe da família não for acampanhada da indicação de outros membros, o benefício é negado. Incluir pessoas da família que já morreram também faz com que o pedido seja negado. A atenção é fundamental para que nenhum benefício seja colocado erroneamente.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!